sábado, 31 de março de 2007

What a Scoop !

Vi finalmente o Scoop e apesar dos meus receios iniciais sobre se o Woody Allen tinha voltado aos filmes menores que tinham ameaçado assombrar uma carreira brilhante, a verdade é que depois do excelente Match Point, Allen volta a surpreender com um filme cómico como só ele sabe.

Numa Londres muito Nova Iorquina vemos autênticos recitais de diálogos entre o grande Splendrini e uma jovem jornalista que são de uma esquizofrenia estonteante parecendo por vezes que estamos a presenciar uma conversa entre dois Woodys com os maneirismos e as expressões das diferentes fases do autor novaiorquino. Em Scoop, Woody transforma-se numa hidra que após o corte de uma cabeça surgem duas mais esfomeadas por frases desconcertantes. Tem piada, bastante piada e a Scarlett vai bem. Até os planos têm a sua comicidade e aquele ritmo de piadas nonsense por minuto são inigualávies e colmatam alguma pobreza do fio condutor do argumento.

Vale bem a pena ver. Woody Allen reinventa-se a si próprio e isso é sempre bom.
foto roubada lá no SushiLeblon

Há muito que esses olhos me intrigam. Olhos que não moram aqui, olhos que fogem para outro mundo. E que mundo será esse que habitas? Pareces feliz por lá, mas aqui não tens lugar.
Pequenina de mão dada com o papá ao passares era sempre: Olá Senhor Doutor, como está? Por acaso não tem um cigarrinho? E ele dava-te o maço, sempre. Com um obrigada acendias um cigarro e voltavas a esse sítio onde vives feliz.
Hoje quando passas por mim não me reconheces. Cresci. Tu continuas a fumar o teu cigarro, e os teus olhos ainda moram no mesmo lugar enquanto vagueias por entre nós indiferente. Sempre. Espero que nesse mundo que habitas permaneças feliz. Sempre.

Ella

sexta-feira, 30 de março de 2007

It's just one of those (fri)days - Gotta love them


Olha-me este...


No banco depois de entregar o BI:

- Ella?
- Sim... é o meu nome.
- Não é vulgar.
- Pois...
- É a segunda que encontro.
- Hum...

e quando me preparo para virar costas:

- Espero que não seja tão complicada...
- Faço por não ser.
- E ciumenta...
- Vejo que deixou marcas.
- Não, nada disso... namoramos à 8 anos.
- Felicidades!

Pfffff COMPLICADA eu???!
Ella

quarta-feira, 28 de março de 2007

Lápis Azul Moderno

Quentin Tarantino e Robert Rodriguez foram forçados a aparar as pontas do seu muito aguardado (pelo menos para mim) Grindhouse por estarem em perigo de passar a classificação de Maiores de 17 ou acompanhados por adultos para Maiores de 17.

Quentin "Genius" Tarantino e Robert "Realizador-muito-bom-que-de-vez-em-quando-faz-filmes-muito-maus" Rodriguez foram obrigados a cortar cenas como uma em que cortam a cabeça a um dude enquando, hmmm, recebe um fellatio da namorada.


Como em Kill Bill em que Quentin teve de esconder uma das melhores lutas de sempre do cinema convertendo-a em preto e branco, não deixando ver na sua plenitude a tareia que A Noiva dá nos Crazy 88, também em Grindhouse, os valores das bilheteiras falaram mais alto e temos de esperar pelo DVD para ver nas cenas extras toda a dimensão das mentes perversas destes dois.

É indecente! O que aconteceu à liberdade de expressão? Este mundo está perdido!

A estreia é dia 6 de Abril, mas para Portugal só em Julho... E depois queixam-se da piratraria!

Statement !

Bem maltinha, é assim...

Já há uns tempos que tenho vindo a sentir isto e por isso está na altura de o revelar...

Ando farto do meu nick. Desde os idos tempos do mirc, ou joguinhos de computador nunca tive uma grande apetência para a escolha da minha identificação virtual. Mais uma vez não acertei na mouche, e como eu gosto de estar certo! Tenho preferido mais os abafadinhos que os kalash's e a mítica AK47 já não é o símbolo que foi na luta rebelde no Nam. It's time to move on, e num novo ano que começa está na hora de mudar.

Assim, estou em fase de escolha de novo nick e até lá passarei a ser conhecido como:

Blogger formerly known as kalash : )


ALGUMA SUGESTÃO???

domingo, 25 de março de 2007

Kalash's Day!


Este fica por beber connosco, muito em breve...
Parabéns ao MAIOR dos maiores!!
Abração do LOUIS e beijinho muito muito muito (etc) grande da ELLA!
ELLA & LOUIS

sábado, 24 de março de 2007

Que chatice!


Não que eu esteja ruido de inveja........ mas finalmente saiu a PS3 no mundo inteiro.
E agora? Depois de comprar a PS2, voltar a tentar convencer a Ella que a PS3 é um óptimo investimento (módica quantia de 499 euros versão básica), extremamente importante para o meu trabalho e indispensável para a nossa futura casa, não é fácil. A desculpa do leitor de DVD's (blue-ray, neste caso) já não funciona muito bem e dizer que até fica bonita na decoraçao da sala também não estou a ver. Que chatice, ainda agora que Ella já tinha desistido de me chatear a cabeça por causa da consola, pimba, aparece outra. E o pior é saber que o próximo PES só vai sair para esta consola. Bom, acho que só me resta ir jogar um SuperMariozito no meu velho GameBoy monocromático de 5 kilos e esperar que o Sims3 só saia para PS3 ;)
Louis

quarta-feira, 21 de março de 2007

Del Toro's Masterpiece


"Cuentos de hadas... ya eres muy mayor para llenarte la cabeza con tanta zarandaja"


El Laberinto del Fauno

A realidade é por vezes esmagadoramente cruel e cabe a cada um de nós descobrir uma forma de lhe sobreviver. À quem fuja, se evada. À quem sonhe. À quem se debata de frente com ela. À quem desista. E à quem se envenene com ela.
Numa Espanha onde os desígnios de Franco eram soberanos, a imaginação pulsante de Ofélia nada mais podia que evadir-se sonhando, criando um mundo encantadoramente seu. Durante todo o filme cruzamos os dedos para que o mundo encantado da menina seja de facto a realidade.
Toda a dedicação de Guillermo del Toro pela menina dos seus olhos e o detalhe nas pequenas coisas transpira de cada frame. Os "montros" são geniais e o verdadeiro monstro Sergi López, não menos genial. Um mau como à muito não se via, daqueles que no fim do filme quem lhe dáva um tiro nos ***** era eu, e eu considero-me uma pessoa pacífica. Aconselho vivamente a verem este retrato histórico e fantástico de uma realidade vizinha. (E infelizmente actual sob outros cenários, outras cores, outras bandeiras.)

Ella

Me too...


Dreamingwall !!!

Quem não gosta de ser bem surpreendido quando anda na rua? Num daqueles dias de semana, quando dá para sentir o pulsar da cidade, os seu sons e os seus cheiros.
Gosto mesmo de arte urbana, quer seja estática, sonora, minimalista ou de intervenção como gosto de ver como uma peça de arte ou um performer se tornam parte da rua. Primeiro, corpos estranhos para os habitués, depois, parte da sua vida, enquanto que para os viajantes ou transeuntes ocasionais se tornam num momento único.
Hoje descobri aqui mais uma daquelas ideias que nos fazem parar e contemplar. Só falta ir a Milão.


"Dreaming Wall é um interessante projecto de arte urbana em exibição numa praça da cidade de Milão. Uma projecção de mensagens SMS expostas de forma aleatória sobre a fachada vazia de um edifício que torna o espaço público num info-forum, lugar de fusão entre a cidade e o sub-texto do mundo da comunicação e da web. "
Sweet dreams!

segunda-feira, 19 de março de 2007

I Pod pode!

Graças à aquisição do meu novo bichinho (finally !!!), tem dado para ouvir ainda mais música e com mais atenção. Hoje a surpresa do dia foi uma do D2, poeta das rimas em português com açucar e lima.


C.B Sangue Bom

[...]
A vida é um eterno perde e ganha
Um dia a gente perde
No outro a gente apanha
Apanha e nem por isso a gente vai fugir da luta
Num vou baixar a cabeça prá nenhum filho da puta
As pedras no caminho a gente chuta
É super natural
Não deixo abaixar minha moral
Tenho que me manter em movimento
A vida não é mole
Mas qualquer parada enfrento, enfrento
Tão louco você pensa que está
E se é que está
Tão louco você pode ficar
Se a vida não é do jeito que cê quis
A idéia é procurar
O caminho que te deixa feliz
Ficar do lado do bem,
Eu fico também
Se o papo for atitude
Não tem prá ninguém
A questão aqui é o sangue bom é quem
Se a felicidade tá numa nota de cem
Marcelo D2

sexta-feira, 16 de março de 2007

Filha de peixe sabe nadar


Anja Garbarek tem uma voz tão exquisite quanto o som que o seu pai tira do saxofone.
(E digam lá se para bruxinha não lhe falta só mexer o nariz!)

Aqui vos deixo Can I keep him? utilizada na banda sonora do filme Angel-A de Luc Besson.



Ella

quinta-feira, 15 de março de 2007

quarta-feira, 14 de março de 2007

Parece que...

sou a caixa de Pandora dos segredos dos outros.


E não pensem que é interessante guarda-los sem poder partilha-los.

Ella

segunda-feira, 12 de março de 2007

Concertos a ver/ouvir por perto

Injazz
(em Alcobaça)

24 de Março (Cine-teatro)
TGB
Sérgio Carolino (tuba), Mário Delgado (guitarra), Alexandre Frazão (bateria).

30 de Março (Centro Cultural da Benedita)
Sexteto de Mário Barreiros
Mário Santos (saxofone tenor e clarinete baixo), José Luís Rego (saxofones soprano alto e clarinete), José Pedro Coelho (saxofones soprano e tenor), Pedro Guedes (piano), Pedro Barreiros (contrabaixo).


X Festival de Jazz do Valado

12 de Abril
Paco Charlín e The Ultimate Jazz Earth-tet
Virxilio da Silva (guitarra), Iago Vazquez (piano), Paco Charlín (contrabaixo);Max Gómez (bateria).

13 de Abril
Quarteto de Carlos Azevedo
Carlos Azevedo (piano), Frank Vaganée (saxofone), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria).

19 de Abril
Lisbon Improvisation Players featuring Dennis González
Rodrigo Amado (saxofones), Dennis González (trompete), Zé Eduardo (contrabaixo), Bruno Pedroso (bateria).

20 de Abril
Mário Franco Quintet e David Binney - This Life
David Binney (saxofone alto), André Fernandes (guitarra), João Paulo (piano e Rhodes), Mário Franco (contrabaixo), João Lencastre (Bateria).

21 de Abril
Audible Architecture
Aurélien Vieira Lino (rhodes e teclados), Marco Jung (bateria), Eddy Cabral (baixo), Hugo Trindade (guitarra), Luís Guerreiro (trompete).

sábado, 10 de março de 2007

Hoje apetecia-me...

Que voz vem no som das ondas
Que não é a voz do mar?
É a voz de alguém que nos fala,
Mas que, se escutamos, cala,
Por ter havido escutar
Mensagem,
Fernando Pessoa

Renné Magritte

Dance is music made visible.
George Balanchine
Ella

terça-feira, 6 de março de 2007

sábado, 3 de março de 2007

sexta-feira, 2 de março de 2007

Adeus Bento...

Para a maioria dos que me lêem é difícil compreender a paixão que tenho pelo futebol. Mas quem nasceu numa casa em que a televisão ficava na sala num volume suficientemente alto para se ouvirem na cozinha as notícias do Benfica e correr para saber as ultimas do clube da Luz ou acompanhou o pai desde tenra idade junto às linhas laterais nessas arenas modernas que são os campos da bola não podia ser de outra maneira.

Sempre tive um grande carinho e admiração pela posição de guarda-redes. Aquela solidão da área, a relação amor-ódio com os adeptos, umas vezes herói outras vilão. O desepero de um frango depois da defesa de uma vida. Aprendi a admirar esses homens e a sua coragem em lançar-se aos pés dos outros para apanhar uma bola de Cautchú como se da sua vida se tratasse. Yashin, Schmeichel, Preud'Homme, Silvino, Taffarel, Ravelli, Zoff, Buffon, Chilavert, Higuita, Van der Sar, Pagliuca, Lama, Neno, Moreira, Zubizarreta, Casillas, Damas, Baía, Jorge Campos, Ricardo ou Grobelaar, são alguns dos homens que já fui por esses campos nos jogos com a malta nas passagens a rodar pela baliza e senti a angústia deles antes de um remate e a sensação de invencibilidade por uma defesa.



Ontem morreu um dos meus heróis, O Bento, o Bento do Benfica, da Selecção... Lembro-me vagamente de o ver a jogar, graças à maldita lesão do México, mas uma das minhas primeiras recordações futebolísticas é na meia final do Europeu com a França, o meu pai a dizer "Se não fosse o Bento... O Bento é o maior... Viva São Bento" E eu imaginava um gigante na baliza a defender os remates de um tal de Platini que também era o maior. Não era um predestinado para o lugar como a maior parte dos grandes guarda-redes, mas trabalhava como ninguém até aos 42 anos na baliza do Benfica como se tivesse acabado de chegar ao plantel pelo primeiro dia. Do alto do seu 1,73 m chegava a todo o lado. Era de elástico diziam uns, Sobrenatural disseram os Ingleses. O meu avô contava uma história do Bento em que ele dizia aos jogadores da barreira para saírem da frente porque ele não precisava e defendia tudo. Ou como daquela vez em que marcou um golo de baliza a baliza. Um dia, quando tiver filhos também lhes vou contar as histórias daquele gigante de bigode farfalhudo e sorriso escondido por baixo de uma aparente face austera e de como foi o melhor guarda redes português e um grande campeão. Era um senhor e o exemplo do querer próprio dos grandes homens.

Hoje, o cartoonista com mais piada em tiras de 3 quadradinhos não conseguiu mais que isto, tal como eu.





Até sempre Campeão, serás sempre o número 1!

quinta-feira, 1 de março de 2007


And the question remains...




A pessoa certa na hora errada torna-se automaticamente na pessoa errada?

Hum... Como a pergunta me foi lançada cabe-me filosofar sobre o tema... Esta pergunta levanta outras de igual conteúdo filosófico... Será que existe a pessoa certa? E será que existe apenas uma?
Ninguém é perfeito, é um facto. Por isso, a mim satisfaz-me que entre os seus defeitos seja perfeito para mim, assim como entre os meus seja perfeita para ele. Isto é a minha definição de pessoa certa. Não acredito que exista "a" pessoa certa, acho que depende das circunstâncias, ou seja, dos encontros e desencontros e acredito que ao longo da vida nos cruzamo com umas quantas com potêncialidades disso.
Quanto à questão em si penso que mesmo que pudesse ser a pessoa certa se a hora é a errada acaba por não ser o suficiente (it's not enough!), por isso o desfecho é o mesmo... ou seja, pelo menos naquele momento é a errada. Talvez noutro timming...
E vocês o que acham?

Ella

PS. na foto penso que não precisa de apresentações, miss Bjork. Menina dos óculos cor-de-rosa desculpa a minha fraca inspiração... prometo tomar qualquer coisa para melhorar!