terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Tic-Tac

Para a Kitty, ainda que nunca venha a ler este texto, enquanto o tempo nunca é o certo.

by Annie Leibovits

Tic-Tac.
Por vezes sonho acordada contigo.
Quando cozinho e me puxas o avental para me pedires um qualquer pedacinho de cenoura.
Quando vou pela rua e sinto a tua mão pequenina na minha. Saltitas entre poças de água e falas nesse tom de quem ainda não conhece todos os sons, todas as letras, todas as palavras. E ris. Ris muito.
És tão mais que imaginação.
Depois desperto e percebo que podias ter sido mas não és.
Desperto e percebo que são apenas imagens de uma vida que podia ter sido mas não escolhi.
E tu... Tu serás o filho que ficou por nascer.
Tic-Tac.
Enquanto vou adiando o sonho. Enquanto vou adiando essa vida que vejo passar por mim. Enquanto não sei quando.
Tic-Tac.
Não sei quando.
Tic-Tac.

ella

Xmas

E agora algumas frivolidades girlish para a super mamã, para a little sister, para a BFF, para a avózinha do coração, enfim, para todas!

Algumas coisas que fui encontrando por aí...
Os monstrinhos da Ana Salomé e as a delicadezas da otchipotchi.

Uma assinatura anual da Visão.

Um posters na allposters.com... tão difícil escolher!

  Porque é o clássico do Natal e nada como aproveitar estas ocasiões para renovar. Tudo Oysho.

Porque pintar as unhas faz-me sempre parecer uma senhora mesmo quando estão ruídas até ao sabugo.
Verniz+Laque = Receita da little sister: Parece que este "Laque" Chanel é fantástico mesmo sobre os vernizes mais ranhosos e faz durar e durar e durar...

Porque sempre adorei as caixinhas de pó-de-arroz da minha avó.
A menina dos lápis-de-cor tem razão temos que começar a dar um pouco mais de cor à nossa vida, porque não começar por aqui.




E porque sim... Nunca são de mais! Chapéu Mango, Luvas + Mala na Zara e Lenço na Massimo Dutti.

E vocês? Mais ideias?
Já falta pouco!

sábado, 17 de dezembro de 2011

domingo, 11 de dezembro de 2011

Jingle bells, Jingle bells... tralálálálá!

O primeiro desta temporada já foi...
E já temos um substituto a olhar para nós!
Receber chocolates é sempre EXCELENTE. No caso das mulheres é uma praga porque eles ficam abandonados em cima de uma mesa muito tristes, a fazer beicinho e a olhar para nós dentro da sua caixinha a TENTAR-NOS. Nenhuma mulher é indiferente ao choro de um chocolate triste e abandonado. Está na nossa natureza. Mas se querem oferecer chocolates, por favor ofereçam chocolates bons como estes! Pior do que ganhar calorias a comer chocolates é ganhar calorias a comer chocolates MAUS! Por isso ponham de lado os chocolates tipo "tinha que te oferecer uma prenda mas como não tinha mínima ideia levas esta caixa de ferrero roche", not good! A não ser que a pessoa em questão adore. O que não é o caso na maior parte dos casos.

ella

sábado, 10 de dezembro de 2011

My mind holds the key



Lembro-me de contares a história daquela mulher que um dia a caminho do trabalho se perdeu para sempre em si. 
Era um dia como os outros. O sol brilhava e o frio cortante de Janeiro entrava pela janela que abriu para a manhã. Olhou para a cama, ele continuava serenamente envolvido no sonho, e foi repetir os gestos de todos os dias. Acordou o miúdo com beijos que lhe cobriam as bochechas, vestiu-o e enquanto tomava o pequeno-almoço ouvia as notícias no rádio. Deu um beijo ao marido e saiu para mais um dia em tudo diferente dos outros. 
Nunca mais souberam dela. Até uma semana mais tarde. Estava catatônica. O mundo exterior morrera para ela. Encontraram-na sentada no metro sem reacção, sem resposta, sem vontade. O marido recuperou-a numa cadeira em frente à televisão num quarto do hospital. Igual. Olhos vazios, sem reacção, sem resposta, sem vontade. E assim continuou. Sem motivo. Aparentemente.
Onde fica a fronteira, entre o ponto em que o copo está cheio e não dá mais para engolir? Qual o momento em que o interruptor se desliga? Ou liga, não sei qual. Talvez esteja em cada um de nós. Talvez esteja lá fora. Talvez esteja no modo como dentro de nós vivemos o que se passa fora. Ou em tudo isto ao mesmo tempo.
A enfermaria das mulheres é a pior, dizias.




My body is a cage,
by Peter Gabriel


My body is a cage that keeps me
From dancing with the one I love
But my mind holds the key

ella

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Xmas List

Eu adoro o Natal. Desde sempre é a minha altura do ano preferida. Gosto de fazer a árvore de Natal, de embrulhar os presentes, de comer broas de batata doce (que antigamente odiava mas agora sabem aos mimos da minha avó), de fiolheses, fatias douradas e tudo e tudo e tudo. Gosto da mantinha no sofá num fim-de-semana chuvoso e frio, dos postais de Natal, da espera pela meia-noite, dos jingles de Natal, de fazer o presépio (que na minha casa, apesar de ninguém ser católico, sempre foi uma linda e imaginativa história onde as personagens mudavam de sítio todos os dias). Gosto de fazer anos ao pé do Natal e poder ter a família que eu escolhi para partilhar comigo a chegada de mais um ano.
Por tudo isto e muito mais, para mim, o Natal não é consumista. Até porque tenho a sorte de a minha lista de prendas ser muito pequena e não tenho ninguém a quem tenha que dar por mera obrigação. Gosto de pensar minuciosamente nos presentes e principalmente gosto da satisfação de dar. Não é preciso gastar muito dinheiro para isso, basta alguma imaginação e tempo (o que ás vezes é mais complicado).
Encontrei esta lista de presentes solidários na Visão, uma excelente ideia para quem quer dar e ao mesmo tempo ajudar aqueles que mais precisam. Não custa nada dar uma vista de olhos!

ella

Xmas List

Mais umas ideias de lembranças para este Natal... Desta vez livros, que na minha opinião é sempre uma óptima prenda.

João Tordo, José Luís Peixoto, Valter Hugo Mãe e José Eduardo Agualusa são algumas das novas pérolas da nossa língua que vale a pena descobrir. Deixo-vos aqui os últimos recentemente editados. Dos 3 primeiros ainda não li nada (à parte das crónicas do Peixoto da Visão) mas estou bastante curiosa pelo que tenho ouvido de quem já leu. O Agualusa já é do coração. 
Já leram algum? O que acham?


De outras bandas... Estes 3 chamaram-me à atenção: 
1. As memórias hilariantes da Tina Fey; 
2. a mais recente ficção do Murakami; 
3. o vencedor do Man Booker Prize 2011.


Para o namorado/maridinho mais geek não posso deixar de sugerir a biografia do Steve Jobs.


Outras excelentes prendas que nos fazem voar quando temos que ter os pés bem assentes na terra são os livros e guias de viagem. Deixo-vos o último do Gonçalo Cadilhe. Claro que podem tentar sempre arranjar uma viagem baratinha (a 10€ ou menos) nos sites certos com as promoções certas na hora certa. Eu pessoalmente não tenho muita sorte, mas se quiserem mais informações é só contactar a Bomba (aka a nossa operadora de viagens ultra-especializada).


Outra coisa que calha sempre bem no sapatinho é A Agenda Moleskine. Pelo menos para aqueles ainda não desistiram de escrever em papel, continuam a insistir e fazem listas por tudo e por nada. E os Passion Journals já conhecem?


Ps. Cá para mim com este post devia de ter direito a um patrocínio da Fnac ou coisa que o valha.
ella

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Finalmente o Hot Club reabre


Foi com grande satisfação que recebi a notícia pela BB*. Pois é, após 2 anos do incêndio que o transformou em ruínas, o Hot vai reabrir numa nova casa. Esta, a da foto, ficará para sempre na memória dos que por lá passaram. Em particular para nós, pois o Hot tem um lugar especial nas nossas recordações mais felizes. Estou curiosa para conhecer essa nova casa. 

Concertos de reabertura com a prata da casa dia 21,22 e 23 de Dezembro, entrada livre.
Nova morada: nº48 Rua da Alegria.

Ps. Djibicou pelo que li não me parece que vás ter problemas de claustrofobia!
ella

domingo, 4 de dezembro de 2011

I ♥ classics


Hoje enquanto me perdia na net entre livros recentemente editados esbarrei-me com este: Then Again, da Diana Keaton. Sempre admirei esta senhora e é a minha nº2 super stylish woman, logo a pergunta que surgiu foi: e a senhora escreve? Depois de procurar reviews no Goodreads (o imdb de quem gosta de ler) e na net parece que sim. Como a Amazon é muito simpática deixa-nos ler as primeiras páginas do livro para logo nos fazer ficar a salivar por mais. Foi assim que me revi nestas palavras...

Mom loved adages, quotes, slogans. There were always little reminders pasted on the kitchen wall. For example, the word THINK. I found THINK thumbtacked on a bulletin board in her darkroom. I saw it Scotch-taped on a pencil box she’d collaged. I even found a pamphlet titled THINK on her bedside table. Mom liked to THINK. 
Then Again, Diane Keaton


Deixo-vos algumas fotos da minha nº2 super stylish woman. Uma coisa é comum a ambas: conseguem ter um boyish look sem deixarem de ser super femininas. Effortlessly chic, I like that.










What do you think?
ella

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Anita mamã


Vi esta foto e imediatamente lembrei-me dos livros da Anita que herdei da minha mãe. Em particular do livro A Anita mamã que era um dos meus preferidos. Li e reli tantas e tantas vezes que acabou por tornar-se realidade quando as minhas irmãs nasceram. As minhas pequeninas.
Ainda se lembram destes livros?
ella