quarta-feira, 25 de abril de 2012

Esta é para vocês...

Por vezes não interessa onde chegamos mas sim, o caminho que percorremos.
Just make it... A Pretty Road!


Pretty Road,
Maria Schneider Big Band

domingo, 22 de abril de 2012

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Ela está quase aí!

No domingo ao passar pelo Marquês de Pombal foi muita emoção ao ver as barraquinhas d'A Feira do Livro! Num instante passou um ano e voltam as piscinas cima-a-baixo do Parque Eduardo VII. 



De 24 de Abril a 13 de Maio.

terça-feira, 17 de abril de 2012

2012!

Qual dos meus sobrinhos(as) vai obrigar a maezinha a fazer destas coisas???




PS: gosto tanto dos anos olímpicos....

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Fazer a mala

Desde que os meus pais se separaram que faço a mala para ir passar o fim-de-semana, ou seja, há 23 anos. Depois veio a faculdade, o trabalho. Enfim... Praticamente todos os fins-de-semana. Passado todo este tempo contínuo a levar coisas a mais e a esquecer-me de coisas. Confesso que algumas coisas que levo são para tranquilizar a minha consciência, quer seja uma camisola extra quer seja uma pasta com coisas de trabalho que devia fazer. O mesmo se passa quando vou viajar. O meu método, por vezes falível, é fazer listas. Sou uma fazedora compulsiva de listas, é um facto. O meu pai que era O Mestre em fazer malas. Quando era pequena e nas férias íamos viajar lembro-me de fazer pequenos montes em cima da cama com o que queria levar e posteriormente ele fazia uma selecção. No final deixava-me escolher entre as coisas que ele tinha tirado uma coisa que poderia juntar à sua selecção. Nunca falhava. Nunca levava nada a mais, nem a menos. Impecável. E fazia o mesmo com a minha mãe, claramente nisso saí a ela.
Hoje encontrei um blog engraçado com algumas dicas, o Travelista. Achei piada... E decidi partilhar convosco. 


Tudo do Travelista.

ella

sábado, 14 de abril de 2012

Um livro e um filme V


"Listen. I don't like to preach, but here's some advice. You'll meet a lot of jerks in life. If they hurt you, remember it's because they're stupid. Don't react to their cruelty. There's nothing worse than bitterness and revenge. Keep your dignity and be true to yourself. "

Persépolis, de Marjane Sartrapi.



Apesar de não ser novidade e de já ter dado origem a um filme, chega finalmente a versão portuguesa de um dos meus livros preferidos: Persépolis, de Marjane Sartrapi.
Há muito tempo que a minha querida amiga BB* me ofereceu este livro e eu apaixonei-me pela história desta mulher. Esta novela gráfica é um testemunho na primeira pessoa de uma mulher, do seu percurso, dos seus ideais, dos seus sonhos, dos seus medos e receios, de um País, da sua força, mas para mim acima de tudo, do que é ser livre. E a vida é feita de pessoas assim.
Leiam e vejam o filme tenho a certeza de que vão adorar.

ella

terça-feira, 10 de abril de 2012

Um jardim na cidade

Photo by James Geer.

Este post é inteiramente dedicado à minha querida amiga Fadinha. Todos podemos sonhar, afinal...
Dreams do come true!

ella

Noite de Cinema

Aqui em casa gostámos muito. Vejam!


"Mon plus grand handicap, c’est pas d’être en fauteuil,
c’est d’être sans elle."

sexta-feira, 6 de abril de 2012

I ♥ classics

Eu adoro as camisas típicas de marinheiro às riscas, ou como dizem os franceses, La marinièrie. E nunca são demais! 


Ontem...

Audrey Hepburn, Coco Chanel, Picasso e Meg Ryan in French Kiss.

Hoje...

Joana Hillman, Kate Moss, Alexa Chung e Olivia Palermo.


E Sempre!
ella

Fotos roubadas daqui e dali... they all hate us, my daily style, etc, etc...

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Não é justo... bolas!


Após um mês a fazer exercício regularmente e sem fazer dieta, hoje decidi enfrentar a fita-métrica porque já vi que com a balança não me safo. Resultado: menos uns centímetros aqui, outros ali, nada acoli e o sítio onde perdi mais centímetros é exactamente aquele onde não precisava... O peito. Não é justo! Não é! E com isto só me vem à cabeça as imortais palavras da menina dos óculos cor-e-rosa... Pequeníssimas. Pffff... Esperemos que o próximo mês traga melhores resultados...

domingo, 1 de abril de 2012

Home sweet home

Foto roubada do STIL inspiration!

A casa perfeita não existe. Pelo menos aquela que vimos nas revistas e blogs de decoração não existe. Tudo arrumadinho, branquinho e limpinho é uma quimera. "Quem é que ali vive?", é o que me pergunto quando as admiro. A realidade é que a desarrumação é pessoal. Quando falo em desarrumação falo em desalinho não em caos. Falo em sapatos aos pés do sofá, numa chávena de café na ponta da mesa, num monte de revistas e livros ao lado da cama, nuns chinelos no corredor, numa pilha de CD's ao lado da aparelhagem, num estendal de roupa na casa de banho, num cesto de roupa por passar ou nas caixas que ainda temos por arrumar porque nos falta sempre aquele armário mágico que ficou por comprar. Isto faz uma casa pessoal e intransmissível. Se eu gostava de ter uma casa como a das revistas? É claro que sim, mas a realidade é que isso é impossível. Ainda que vivêssemos sozinhos tenho duvidas. Muitas.
O melhor conselho que me deram para a vida a dois foi de contratar uma empregada e até hoje não me arrependo. É um luxo, sim, o primeiro que me concedi quando comecei a trabalhar. Se gostava de poder poupar esse dinheiro? Sem dúvida mas, mesmo implicando ter que me privar de outros prazeres da vida, vale cada tostão e é um bem essencial para o bem estar da minha relação. Depois de 8 horas de trabalho por dia ninguém tem vontade de fazer mais que o jantar, e por vezes nem isso. Quando por fim chega o fim-de-semana queremos aproveitar o tempo, não ficar a limpar a cozinha ou a casa-de-banho. Se nós não temos disposição para tal, o outro também não. Porquê chatearmo-nos e zangarmo-nos? Ter alguém que o faz por nós é uma benção, só é pena ser só uma vez por semana. E se os meus pais tivessem feito o mesmo talvez não se tivessem separado.
Não sou maníaca das limpezas mas adoro chegar a casa depois da magia acontecer. Desarrumação, desalinho, sim, mas limpinho.
Eu gosto da minha casa assim, imperfeita mas singular. Nossa.

ella

Ps. Lembrei-me desta música porque a menina dos lápis-de-cor contou-me que o marido de uma amiga dela é maníaco das limpezas e que ambos têm sempre a casa irritantemente impecável e limpa. Até os rodapés. Pois dizem que os maridos das outras são arquétipos da perfeição, mas eu prefiro o meu imperfeito mais-que-perfeito para mim.