quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Aos dias felizes

Na foto Serge Gainsbourg e Jane Birkin.


6 de Janeiro
O teste deu positivo. Afinal sempre era verdade. Aquela vozinha dentro de mim que uma semana antes dizia ainda te vais rir muito deste dia tinha razão. E o meu corpo teve sempre razão não era apenas uma ilusão do meu coração.

13 de Janeiro
Hoje foi o dia em que te vimos pela primeira vez. Dizem que és do tamanho de uma semente de sésamo. E nós ficámos os dois a olhar para ti. Por ti. E naquele momento também o nosso mundo era do tamanho de uma semente de sésamo. Dizem que foi muito rápido, à primeira como o teu Pai gosta de dizer, mas para mim demorou muito tempo. Na realidade há muito tempo que espero por ti. Que esperamos por ti, Sementinha.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Sítios para ir...


Só para refrescar a mente entre números, calculadora, teclado e monitor nada como sonhar acordar aqui e tomar o pequeno almoço com estes convidados tão especiais. Giraffe Manor é um pequeno hotel de 1930 que fica no Quénia a 20 Km da cidade de Nairobi e simultaneamente um centro de protecção das girafas de Rothschild. Era simpático... Não custa sonhar!



quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Before Midnight



Quase 20 anos depois daquele que foi o filme (Before Sunrise) que apaixonou todas as adolescentes (ou quase todas) Ethan Hawke, Julie Delpy e Richard Linklater voltam a juntar-se pelo que se diz para terminar esta história de amor. Depois do segundo filme (Before Sunset) nos deixar em suspenso vamos finalmente ter a resposta à pergunta: será que é desta que eles ficam juntos?

Quanto tempo teremos que esperar para estrear em Portugal?

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Edward Hopper no Grand Palais

photo by ella

Visitar Paris implica sempre uma visita ás exposições no Grand Palais conhecidas pela maneira exemplar com que são concebidas, pela oportunidade única de ver grandes obras e pelas grandes filas (problema que se resolve ao comprar os bilhetes on-line com hora marcada). Quando lá estivemos em Novembro fomos ver a muito aclamada exposição sobre o Hopper. Edward Hopper. E se o nome não vos diz nada garanto-vos que alguns dos quadros vos irão parecer familiares. Tenho muita pena de estas exposições retrospectiva não chegarem a Portugal. É pena.
Quando falam dos seus quadros falam em solidão, falam em personagens em trânsito entre uma situação e outra, situações banais, comuns... E o que é isso que acontece entre uma coisa e outra? Não será isso a vida? A mim o que me veio à cabeça foi... Deus das pequenas coisas. E eu gosto disso. Gosto dos momentos banais, comuns e ordinários de todos os dias. Estar sozinho não implica solidão. E o que mais gosto nos seus quadros é essa possibilidade de poder inventar uma história.
Mais tarde li um artigo onde o jornalista a propósito dos seus quadro dizia:

Cada um deles é a atomização de uma imagem que faz parte de um filme mais comprido. É isso que cria emoção. Isso e a taciturnidade revelada pela pintura, essa harmonia entre o desenho, a cor, a matéria, a luz, a composição. Um género de poesia onde a banalidade se transcende pela arte. Não há procura do grandioso ou sequer do exótico. Apenas o comum, o familiar, o modesto.
Vítor Belanciano in Público, Novembro 2012



Nighthawks (1942)


Morning Sun (1952)


Room in New York (1932)


Chop Suey (1929)


New york office (1962)

E vocês o que acham?

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Hoje foi o primeiro dia de muitos...

Que irei passar agarrada ao meu Mac'inho!
A.K.A. dia em que comecei oficialmente a escrever a tese.
De momento a única coisa que me vem á cabeça é que se tivesse tido menos trabalho tinha menos coisas para escrever! D'Oh! (com direito a palmadinha na cabeça à Homer Simpson)

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

domingo, 6 de janeiro de 2013

Fim-de-semana na cidade: Conserveira Nacional

A Conserveira Nacional rapidamente se tornou uma das nossas lojas tradicionais preferidas onde nos abastecemos daquilo que são as melhores conservas nacionais. A simpatia com que somos atendidos e a qualidade daquilo que é nacional e muito bom faz desta casa uma referência. Perfeito para aqueles dias em que não apetece cozinhar ou nos apetece simplesmente trincar qualquer coisa. É o meu jantar preferido dos  domingos sonolentos... Sobre uma fatia de pão torrado e uma salada.











Todas as fotos são do Louis.


Passem por lá e provem, vão ver que vale a pena!

sábado, 5 de janeiro de 2013

Fim-de-semana na cidade: Fundação José Saramago

Ao visitarmos pela primeira vez a Fundação José Saramago na antiga e restaurada Casa dos Bicos fica claro que aquela casa é uma prova de amor ao Homem, à sua obra, aos livros e aos leitores em geral. Fica uma sensação de que parte daquilo também é nosso, ou somos nós. Não sei explicar. Enquanto desvendavamos as pessoas e os locais por entre as muitas fotos na parede veio uma voz familiar que nos guiou com carinho. Quando por fim nos deixou perguntei ao Louis. Sabes quem era? Era a Pilar. E ficou depois por momentos parada em frente a um ecrã onde passava uma entrevista do seu José.
A mim Saramago ensinou-me que nunca é tarde. Nunca é tarde demais para fazermos aquilo de que gostamos. Nunca é tarde. Nem para sonhar. Nem para escrever. Nem para amar.



















Todas as fotos são do Louis.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Feliz Ano Novo!

Há aqueles que não acreditam em superstições. Há aqueles que vestem cuecas novas. Alguns azuis. Outros brancas. Há aqueles que comem doze passas. Uns todas de uma só vez. Outros pedem um desejo por cada uma das passas. Há aqueles que sobem para cima de um banco, cadeira ou degrau. Há aqueles que pisam dinheiro. Há aqueles que se atiram ao mar. Há aqueles que bridam, abraçam-se e beijam-se. Enfim... Cada um nós tem a sua tradição de desejar o melhor para si e para aqueles que são seus.

Espero que os nossos desejos se realizem!

Aqui fica uma músiquinha para entrar com o pé direito em 2013!


What are you doing New Years Eve?,
by Zooey Deschanel and Joseph Gordon-Levitt