sexta-feira, 26 de abril de 2013

Boys will be boys



Bastou um almoço em família com duas avós, uma bisavó e uma tia para nós, futuros papás, começarmos a pensar que talvez fosse boa ideia o mini-moi ser um menino.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Em véspera de feriado...

Os primeiros dias de sol e calor deixam-nos a sonhar com mergulhos e gelados! (Pelo menos a mim!) Mas por enquanto tenho que me agarrar ás primeiras correcções do primeiro capítulo...  E continuar a sonhar! Ouvi dizer que amanhã é feriado... Só falta fazer-se a revolução.



Fotos de Mark Tipple.


Deixo-vos uma aplicação para descobrirem no feriado e uma música...

Depois de semanas a ouvir o Louis relatar todas as maravilhas do Spotify hoje fiz o download da aplicação, mas ele ainda não sabe. E o que é o Spotify? Bom, vamos lá a ver se aprendi a lição... É mais uma aplicação para ouvir música em streaming directo grátis e que pagando uma módica quantia por mês pode inclusive se fazer downloads. E porque é que o Spotify é tão especial? Porque tem a maior parte dos artistas de que nos podemos lembrar, até os mais obscuros, e tem uma série de opções que nos permitem descobrir outros grupos com base naquilo que gostamos de ouvir. Enjoy!




The Lightning Strike,
by Snow Patrol

terça-feira, 23 de abril de 2013

Das histórias que nos contam


Escultura de Ron Muek, foto roubada daqui.


Este bichinho da maternidade tem um sintoma muito específico no género feminino... Aquilo que eu chamo de: a Partilha. Quando sabemos que alguém está grávida temos esta necessidade de partilhar, quer já se tenha sido mãe ou não, quer sejam experiências pessoais, quer seja o que aconteceu com a prima da vizinha da amiga da nossa tia. É inevitável. E sim, confesso que também estou a falar de mim. Sou como as outras.
Há dias recebi um e-mail muito querido de uma colega que está de licença de maternidade em que me dizia aquilo que gostava que lhe tivessem dito. Trocar experiências, truques, dicas é uma mais valia que ninguém deve menosprezar. Porém não percebo o porquê de algumas pessoas insistirem em contar, descrever e relatar o parto a alguém que está numa situação em que esse destino é certo. Neste momento não há nada que possam dizer que me faça voltar atrás. Foi concebido, tudo está e esperemos que assim continue a correr bem, logo um dia vamos ter que tirar daqui esta criança de alguma maneira. A bem ou a mal. Relatos de partos tipo "filme de terror" não ajudam ninguém a preparar-se psicologicamente para a coisa. No meu caso, apesar de temer esse momento, confesso que essas histórias não me incomodam e é como se fossem barulho de fundo. No entanto, era mais agradável falar de outras coisas com pessoas que não são tão íntimas quanto isso. Tipo dicas para os calar quando choram sem parar a meio da noite. Isso sim era útil.
Talvez, a partilha, seja algo que passa de geração em geração desde os tempos em que a sabedoria era passada de boca em boca. Não sei. Sei apenas que nunca vi um homem dar a sua opinião sobre o assunto sem que esta não lhe fosse directamente pedida.

PS. O que penso do parto dá outro post para outra altura.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

ABC do kamasutra


Para aprender a fazer bébés ou simplesmente "have fun"!



Encontrei isto no Fubiz e achei o máximo (no site original mexem-se)! Fez-me recordar uma exposição  já não me lembro onde e quando com objectos de decoração chineses inteiramente decorados de cenas "kamasutricas" minúsculas. Se acharem ordinário, têm o fim-de-semana para recuperar. Blame it on my hormones!
Deixo-vos uma TED conference para ouvir no fim-de-semana de uma senhora que gosto muito de ouvir e ler... Helen Fisher! Não será nada de novo para alguns, mas acho que vem a propósito e sabe sempre bem ouvi-la.

The Brain in LOVE



quinta-feira, 18 de abril de 2013

Do tempo e da amizade


Photo by James Burke, via Green Eyes 55.


Em tudo o que fazemos existe um equilíbrio entre o que damos e o que recebemos. O quanto investimos em alguma coisa e o que recebemos em troca. Quer seja no trabalho, numa relação ou com nós próprios. Todo o sistema em equilíbrio sofre perturbações. Não é preciso saber muito de termodinâmica para perceber isso. E cabe a nós repor esse equilíbrio ou alcançar um novo estado de equilíbrio.
Na amizade também é assim. Recebemos aquilo que damos. Damos aquilo que recebemos. Ou deveria ser assim. Quando não é desistimos, desinvestimos.
Para a amizade como para o amor é preciso tempo. É preciso, por vezes, encontrar tempo. A amizade quando é amizade tem um carácter quase intemporal. Pode ficar perdida no tempo uma década enquanto percorremos caminhos divergentes e quando retomada voltamos a encontrar-nos no sítio onde tínhamos ficado. Mas não podemos esperar que um amigo corra para sempre atrás de nós, do mesmo modo que desistimos de investir numa relação descompensada. Não podemos cobrar do outro aquilo que não sabemos dar. É o essencial.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

De dia para dia...

Os meus pés estão a desaparecer!
Eu sabia que ter uma boa base de sustentação me iria dar jeito um dia... 


Photo by ella's iphonezinhoooo!

terça-feira, 16 de abril de 2013

Baby rooms

Ainda andamos longe de pensar muito no quarto do mini-moi mas algumas ideias já foram surgindo. Das minhas passeatas pela blogosfera tenho me cruzado muito com aquilo que penso ser a nova moda no que toca a baby rooms... Quartos cinzentos. Desde um cinzentinho leve até ao preto. Confesso que não me cativa minimamente. Alguns acho engraçados e até bonitinhos, mas não seria a minha escolha para o quarto do mini-moi. Confesso que acho triste, deprimente, cansativo e não rima com Infância. Infância é alegria, é sonhos e fantasia.

E vocês o que acham?




Agora o que eu acho muito engraçado é ter uma parte da parede forrada com ardósia.
Na fase em que decidimos escrever por todo o lado a minha mãe forrou uma parede do meu quarto com papel de cenário e ainda hoje o tenho guardado todo rabiscado!
Ou então assim... Atrás de uma porta...

segunda-feira, 15 de abril de 2013

100% Automotivação

As pequenas coisas, os pormenores, cansam... Está quase mas. Aquele mas. Mas falta ainda mais isto e aquilo. E aquilo. Lembras-te?! Pfff... Enfim, tem de ser. Ponto final.








domingo, 14 de abril de 2013

Quando decidiste começar a dar notícias


Foto da autoria do meu iphonezinho.

Foi então que escolheste o concerto do Uri Caine ao lado da orquestra Gulbenkian sobre direcção da maestrina Joana Carneiro para que os papás nunca se esquecessem de quando começaste aos xutos e pontapés. Pequenino e com bom gosto. Isso ou estavas aliviado com o fim das peças da Andreia Pinto Correia...

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Choupana Caffe

No sábado passado antes de irmos espreitar a exposição da Clarice Lispector na Gulbenkian fomos tomar o pequeno almoço ao Choupana Caffe. Este recente café-pastelaria-padaria situado no coração de Lisboa é um sítio simpático, amplo e luminoso, onde podemos encontrar os clássicos da pastelaria portuguesa, mas também levar para casa bom pão de centeio, bagels, pão com chouriço e por aí fora... Tudo o que provamos era muito bom e vamos com toda a certeza voltar lá. A única coisa que ficou longe de ser perfeito foi o atendimento. O serviço é muito demorado não apenas em alturas de casa cheia mas também em alturas mais calmas.










Todas as fotos são do Louis.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

A balança



Esta ideia de achar muito bonito ver uma mulher grávida só é verdade nos outros. Eu sempre achei as minhas amigas grávidas muito bonitas, mas duvido que alguma grávida olhe para sim e ache que está bonita. Duvido. As mulheres, ou melhor dizendo algumas mulheres, têm um problema crónico com o espelho. Eu sou uma delas. Por melhor que possamos estar naquele que é o nosso peso ideal, infelizmente nunca estamos satisfeitas. Ora na gravidez não havia de ser diferente. O peso é uma questão sensível. Agora e sempre. A mim, pessoalmente, preocupa-me mais o corpo depois da gravidez que o corpo durante a gravidez.
Há um mês que ando para escrever este texto... A nossa ecografia do rastreio dos 3 meses foi tudo menos simpática. Se não fosse pelo pequenino mini-moi no ecrã e a minha capacidade de filtrar o que me dizem, acho que tinha saído de lá traumatizada e angustiada. Já ia avisada que o médico era intragável em questões do peso das mães, mas ia tranquila porque achava que 2Kg naquela altura era normal. Pelos vistos para o senhor doutor o NORMAL é aos 3 meses ter engordado 1/2Kg (na realidade, basta não ir ao WC para se estar grávida!). Claro que, tal como ele afirmou escandalizado: hoje ainda não atendi uma única grávida normal. Eram 19 horas. O conceito de "grávida normal" parece-me não existir. Com todas as mães com quem tenho falado e de tudo o que tenho lido, não existe uma grávida normal. Todas são diferentes. Umas engordaram 9, outras 20Kg (ou mesmo mais) e na maior parte dos casos tinham atenção ao que comiam. Compreendo que antigamente houvesse aquele habito do comer por dois, mas penso que hoje em dia estes casos são raros.
O que me chateou não foi o chamar de atenção, foi o facto de não me ter perguntado mais nada. Fazer um juízo de valor sem saber nada sobre mim ou sobre a minha gravidez, porque nem se quer é o médico que me acompanha. Se não saberia que desde que engravidei tenho passado os dias sentada a escrever a tese. Se não saberia que o meu peito aumentou 12 cm. Se não saberia que faço exercício 3/4 vezes por semana. Etc... Enfim... Acredito que nenhuma mulher se sinta feliz por engordar mesmo quando está grávida. Resultado, na ecografia morfológica quando me perguntar pelo peso vou mentir... Há um limite para as idiotices que ouvimos.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Os aliados


Todo o processo de ter uma criança a crescer dentro de nós é muito bonito... O conceito de dar a vida é uma prova de amor incondicional. Mas quando pensamos bem nisso, é perturbador. No bom sentido, mas é perturbador. Há dias, em especial à noite, em que sinto uma pressão na barriga, cãibras nos abdominais... Como se o mini-moi estivesse aos poucos a conquistar espaço dentro de mim. E é nestas alturas que me vem à cabeça as imagens dos filmes dos Alien's. Mas não vamos ser tão dramáticos que ele tem uma forma muito mais simpática de sair daqui... Tenho que começar a deixar esta ironia de lado e abraçar de vez esta realidade aterradora!
Quando pensamos que a nossa barriga vai insuflar como um balão, pensamos no que acontece ao balão quando fica sem ar, murcho... Pensamos na consequência directa, as estrias. Não as queremos nem por  nada, por isso o ideal é começar desde cedo a prevenir. Claro que tudo depende de pessoa para pessoa, mas mesmo com o pior tipo de pele possível prevenir é a palavra chave. E para isso também é preciso ter os aliados certos. Não acredito que seja necessário gastar muito dinheiro em cremes, acredito que é preciso pôr. Pôr todos os dias, sem excepção. A minha mãe das duas vezes que esteve grávida usava creme Nívea e não ficou com uma única estria. É preciso ter disciplina mas demora menos que 5 minutos.
Eu comecei por usar o mesmo creme que sempre usei e continuo a usar, o Vichy Nutriextra, de manhã e à noite. Entretanto como outro grande aliado que temos são os amigos, a Menina dos Lápis-de-Cor ofereceu-me um frasco da sua arma secreta, o Óleo Natural Anti-Estrias da Eucerin que passei a usar nas zonas críticas após o banho. Aconselho vivamente, pois ao contrário dos cremes gordos que a minha pele apesar de muito seca tem dificuldade em absorver este é absorvido facilmente.
E marcas portuguesas? Aconselho o Óleo da Barral que gosto bastante e parece que também têm um creme anti-estrias para grávidas mas não experimentei.
Se funcionar no pós-parto logo vos conto.
Alguém tem mais dicas?!

segunda-feira, 8 de abril de 2013

O nosso pequeno-almoço de domingo preferido


Nada melhor que começar o domingo com um bom pequeno-almoço... Panquecas. Sempre um sucesso aqui em casa. Como a receita nunca falha, é ideal para impressionar os olhos e o estômago.
A receita não poderia ser mais simples e os ingredientes, posso arriscar dizer, são daqueles que toda a gente tem. Hoje fiz panquecas de banana mas a receita funciona simples ou com aquilo que a nossa imaginação ou gula quiser. Mirtilos, framboesas, passas, pêra, maçã, pepitas de chocolate e por aí fora...




Panquecas
1 caneca de farinha
1 caneca (de aproximadamente 250 mL) de leite
1 ovo
1 pitada de sal
Manteiga
(dá para 3 pessoas dependendo da fome e da vontade de comer)

Separar a gema da clara em duas taças. À gema ir juntando e misturando aos poucos o leite e a farinha (peneirada). É importante a massa ficar homogénea e sem grumos, assim como usar a mesma medida de farinha e de leite (eu uso sempre a mesma caneca). Adicionar uma pitada de sal à clara, bater em castelo e incorporar na massa. Deixar repousar durante 15 minutos. (Nota: A receita também funciona sem separar a gema da clara e batendo tudo ao mesmo tempo, mas as panquecas não ficam tão fofas.)





Aquecer uma frigideira antiaderente. Invés de colocar manteiga na frigideira e esta ficar em excesso, o meu truque é passar um papel absorvente com manteiga por toda a superfície da mesma. Quando a frigideira estiver bem quente é só colocar a massa. Segundo truque: para facilitar fazer as panquecas eu coloco a massa num "jarro". Se quiserem colocar alguma coisa nas panquecas este é o momento, no meu caso coloquei rodelas de banana.





Para saber quando virar é muito simples, basta sacudir a frigideira. Se estiverem soltas devem estar boas e com a ajuda de uma espátula viram-se facilmente. Depois de virarem convém pressionar um pouco com a espátula.






Depois é puxar pela imaginação... 
Maple syrup ou mel, iogurte ou gelado, fruta, Nutella, etc...
À vontade do freguês!
Experimentem e deliciem-se!



As fotos são da autoria do Louis e as panquecas da minha!

sábado, 6 de abril de 2013

Clarice Lispector: A hora da Estrela

Finalmente um sábado solarengo!
Sair de casa pela manhã e em boa companhia ir fazer uma visita à Gulbenkian para espreitar a exposição sobre a Clarice Lispector. Depois da exposição fantástica sobre o Pessoa esta não lhe fica atrás. Só tenho pena de não haver uma parte reservada à biografia da autora.
Passem por lá até dia 23 de Junho.























Todas as fotos são da autoria do Louis com a preciosa ajuda Fuji'pró!