sábado, 28 de março de 2015

Do tempo que é nosso

ella


Como é que tu tens tempo para fazer isso? A resposta é simples não tenho. Hoje a minha gestão é feita por opções, escolhas. Ou isto ou aquilo. Para fazer umas coisas não faço outras. E sobretudo não durmo. Se faço exercício, acordo cedo. Não durmo. Se aterro no sofá a ver séries, filmes ou a escrever, deito-me tarde. Não durmo. Basicamente é isso. Mas também desde quando é que dormimos tudo o que gostaríamos? Às vezes pergunto-me que raio fazia eu com o tempo antes de ser mãe? Parece-me hoje que tinha todo o tempo do mundo e por minha conta. Admiro outras mães que fazem tudo. Mães que riscam todos os itens da lista. Eu não. Eu sou a mãe que termina o dia com menos dois itens na lista e ainda acrescenta mais dois ou três. E fico contente. Porque o mais importante não está na lista. E foi feito.


quarta-feira, 25 de março de 2015

Not that Kind of Girl

ella

Por altura do Natal enquanto andava em busca de prendas de Natal encontrei o livro da Lena DunhamNot that Kind of Girl. Depois de ter lido uma entrevista com ela fiquei com vontade de a conhecer melhor. Lena Dunham é tudo menos consensual. Quando comecei a ver a série foram precisos uns quantos episódios para entrar no espírito. Primeiro estranha-se depois entranha-se. Tal como na série também no livro Lena é igual a ela própria. Lena é verdadeira e assume-se. O livro não é literatura mas não tem pretensão de o ser. É descontraído, tem momentos divertidos e outros que claramente não foram editados. Lena (ainda) não está ao nível de uma Tina Fey mas está a tentar. Lena não faz um retrato do que é a sua geração, mas faz um retrato do que é a sua realidade. E a verdade é que por muito diferentes que as nossas realidades sejam há certos pontos que são transversais a todas nós.


A Cup of Jo: You've talked about your fascination/fear of death. What would you want written on your tombstone?
Lena Dunham: I know exactly. When my great aunt Doris died last December, she was almost 101. I got a beautiful small watercolor she had painted during her life, and it was of a tombstone. And the tombstone said, "She has done her best."
in A Cup of Jo


PS. Esta semana o meu chérie chamou-me a atenção para este artigo de opinião sobre a série. 

domingo, 22 de março de 2015

Da mamã para o papá com amor

ella


É nos dias em que estou sozinha e tenho que fazer tudo sozinha que me apercebo o quão mais fácil é ter alguém com quem partilhar as rotinas. O quão bom é ter uma boa equipa. Alguém que antecipa as nossas jogadas e nos apoia, alguém que partilha da mesma táctica e conhece todas as jogadas, alguém que festeja e chora connosco, alguém que nos dá uma palmadinha e diz "foi bem!", ou "não desiste!" ou "para próxima é melhor!". Alguém que quer o mesmo que nós para NÓS. Tenho a certeza que não poderia ter escolhido um melhor pai. Sempre soube. E sei que um dia também o Kirikou vai dizer de sorriso nos lábios e de peito cheio de orgulho... O meu pai é o melhor do mundo. E é mesmo.


sexta-feira, 13 de março de 2015

Não te faz lembrar ninguém?


Brevemente em Hotel Transylvania 2


Se calhar já está na altura de lhe cortarmos outra vez o cabelo?



quinta-feira, 5 de março de 2015

Exemplar


ella



Um dia depois do intervalo enquanto a professora não vinha a menina sentou-se em cima da sua secretária. Quando a professora chegou pregou-lhe um raspanete porque não era de boa educação sentar-se em cima da secretária. Ao que a menina respondeu: Mas a senhora professora senta-se em cima da sua?

Toda a gente sabe que as crianças aprendem com os exemplos. Mais com os exemplos do que com aquilo que lhes dizemos. Aos poucos com o tempo vão processando, assimilando e sem darem por isso faz parte delas. Como dizemos muitas vezes são “macaquinhos de imitação”. E são. E nós somos um exemplo para eles. Não basta dizermos que temos de lavar as mãos antes de comer temos que lhes mostrar o quão banal isso é para nós, para também um dia o ser para eles. É connosco que aprendem a relacionar-se com o mundo e o que esperar ou não dele. Hoje pensava nisto enquanto ia para o trabalho. E pensava na nossa classe política... Mais propriamente no nosso PM que prega A e faz B. Que exemplo é este? Bolas?! Com que moral, com que direito podemos exigir dos outros o que não exigimos a nós próprios? Mudar o rumo de Portugal é também mudar esta mentalidade. Exigirmos mais. Exigirmos pessoas capazes de dar o exemplo.



terça-feira, 3 de março de 2015

Oh Mr. Darcy I knew you had it in you!


Kingsman: The Secret Service,
Matthew Vaughn, 2015


Sexta-feira e mais uma semana que termina. Sistersitter in the house. Há que aproveitar. The Imitation Game, The Theory of Everything ou Still Alice? Bah... Tudo bom, tudo um pouco deprimente para uma sexta-feira desgastante. Hum... Então nada melhor que um combi de Kill Bill-James Bond-Kick Ass para desanuviar e começar o fim-de-semana em grande. AWESOME. Divertimento garantido. É tudo aquilo que promete e muito mais.